MEZ Energia Mira Comercializadora no 2º Semestre e Projetos de Geração de Fotovoltaica

A MEZ Energia, braço da construtora EZTEC para a área de energia, está avançando na estruturação de sua comercializadora de energia, que deve começar a operar entre o final deste ano e o início de 2022, segundo o presidente da companhia, disse ao Broadcast Energia o presidente da empresa, Maurício Zarzur.

Segundo o executivo, MEZ Comercializadora já tem autorizações da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e está cadastrada na Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). O que falta, neste momento, é a estruturação de uma mesa de operações.

Estamos ainda pré-operacionais, estruturando a mesa para atuar no trading. Se conseguirmos fazer isso com velocidade, no segundo semestre já estaremos operando bem”, explicou.

A atuação em comercialização está ligada à estratégia de verticalização que a empresa pretende adotar, vendendo a energia que será gerada em usinas fotovoltaicas o grupo pretende construir em terrenos próximos às instalações de transmissão. De acordo com Zarzur, a MEZ já possui dois terrenos que serão destinados às primeiras usinas, que devem ter 60 megawatts-pico (MWp) e 180 MWp. Elas ficarão próximas a subestações que a companhia está construindo.

O objetivo, disse o executivo, é buscar sinergias entre comercialização, geração e transmissão para otimizar os investimentos. “Queremos verticalizar a operação, quando estivermos com o braço de geração… Procuramos comprar terrenos perto de subestações que estamos construindo e aproveitar essa facilidade para escoar o que será gerado”, afirmou o executivo.

A opção por atuar com usinas solares fotovoltaicas ocorre porque a MEZ já tem conhecimento do segmento, uma vez que mantém alguns empreendimentos de geração distribuída que somam aproximadamente 1 MWp, em parceria com a empresa pernambucana Insole.

Leilão

Ontem a MEZ Energia participou do leilão de transmissão realizado pela Aneel e arrematou os lotes 3 e 5, no Mato Grosso do Sul e em São Paulo. Sobre a atuação da empresa no certame, Zarzur disse que a estratégia adotada foi de escolher dois lotes para estudar com profundidade e fazer lances mais assertivos. “Para o final do ano será parecido, vamos olhar as sinergias dos lotes (disponíveis) com outros que já temos em carteira, mas não devemos ir para todos eles”, afirmou.

Contato: energia@estadao.com