MEZ Energia mira ativos de geração em 2022; sócios vendem coligada a fundo da XP – UOL

Por Luciano Costa

SÃO PAULO (Reuters) – A MEZ Energia, que arrematou diversas concessões para projetos de transmissão de eletricidade em um leilão no final de 2020, tem planos de se tornar um nome relevante no setor elétrico do Brasil nos próximos anos, disse à Reuters o presidente e acionista da companhia, Mauricio Ernesto Zarzur.

Criada em 2019 por membros da família fundadora do grupo de construção EZTEC, a MEZ tem empreendimentos em carteira que exigirão quase 3 bilhões de reais nos próximos anos, e avalia ainda planos de expandir os negócios para geração renovável em 2022, acrescentou o CEO.

Ele afirmou que a MEZ concentrará a partir de agora todos os investimentos do clã em energia, enquanto uma empresa anterior criada por eles para os primeiros aportes em transmissão, a Arteon Z, está sendo vendida.

"Estamos em processo de venda de nossa participação na Arteon, isso deve ser liquidado nesta semana. Nosso racional é consolidar todos nossos investimentos na MEZ, inclusive com esse recurso da venda", disse Zarzur, que é neto do criador da EZTEC e sócio do pai na nova empresa.

A participação majoritária na Arteon Z foi negociada junto a um fundo de investimentos da corretora XP, que já era sócio minoritário do ativo, explicou ele, sem citar valores.

A MEZ, apesar de mais recente, ultrapassou a coligada em porte, e tem no momento nove concessões para empreendimentos de transmissão, arrematados em leilões ou adquiridos de terceiros.

Esses projetos têm orçamento estimado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em 2,78 bilhões de reais, contra cerca de 320 milhões em aportes estimados nos ativos da Arteon Z, segundo Zarzur.

LEIA A MATÉRIA NA ÍNTEGRA